Cape Town

Project 43 of 311

Cidade cheia de atrativos, beleza natural e história

01 de Maio

Cape Town, a primeira vista impressiona pela beleza e organização. Montanhas ao fundo, cidade plana, com sua costa toda banhada pelo mar. Famosa pelo seu porto natural. Escolhemos o hotel Cape Grace para curtir os primeiros dias na cidade. Charme inglês, decoração clássica e muito aconchegante. O serviço é de primeira, os quartos são delícia, a comida saborosa e os detalhes encantam do começo ao fim. No coração do Waterfront, a localização é privilegiada e o hotel todo pensado na qualidade da sua estada.

Tem uma vista linda para Marina, SPA para relaxar, academia para quem não consegue deixar de manter a forma e piscina para jogar as pernas para o alto e curtir um dia de sol. Para os passeios mais distantes, é só marcar hora com o concierge para que eles façam seu transfer, esta pensando naquela mini van? Não, não, o serviço é realizado com uma super BMW e um motorista (educadíssimo!) para te levar ao seu programa. Chic, não? No quarto você recebe um lembrete confirmando os horários agendados para seu transfer. E tudo isso é uma cortesia do hotel. Fiquei realmente encantada! Sem duvidas uma bela opção para desbravar a cidade.

cape grace_capetown

No primeiro dia, ainda cansados da viagem, resolvi passear ao redor do hotel. Walking distance dali, no Waterfront, está o Two Oceans Aquarium , com uma variedade enorme de peixes e espécies dos dois oceanos que envolvem a África do Sul- o Atlântico e Índico. Um programa muito indicado para quem vai com os filhos, pois o aquário é fantástico! Muito interativo, lúdico e interessante. Antes da visita, confira no site o horário de alimentação dos tubarões e pinguins, se conseguir conciliar, sem dúvidas, será diversão garantida. Adoramos a área “Touch me” onde você pode tocar estrelas do mar, algas e outros bichinhos. Tem também outra área muito interessante onde você vê através de um microscópio detalhes dos crustáceos. Não tem como a criançada não gostar! Os pinguins não ficam em jaulas, ficam em uma praia artificial a poucos metros dos visitantes. Para brincadeiras tem ainda um playground indoor e brincadeiras recreativas. Muito legal! Aberto todos os dias, das 9h30 às 18h. A compra de ingressos pode ser feita online (com desconto) ou no local  www.aquarium.co.za

Saindo do aquário, aproveite para dar uma volta no Cape Wheel, a roda gigante com vista para boa parte da cidade. Fomos às 18h e conseguimos assistir ao por do sol lá de cima. Lindo! A cidade fica toda cor de rosa, demais! São 30 cabines, todas equipadas com ar condicionado. O programa leva uns 20 minutos e funciona todos os dias, das 10h às 22h. A compra de ingressos pode ser feita online ou no local www.capewheel.co.za

IMG_9168

Pela região uma ótima opção para almoçar ou  jantar é o Belthazar, com carnes deliciosas, boa seleção de frutos do mar e uma excelente carta de vinhos. Na varanda o ambiente é mais descontraído ideal para almoço e na área interna mais arrumado, melhor para o jantar. É sempre bom reservar! V&A Waterfront, térreo, tel. 21 421-3753) www.belthazar.co.za

02 de Maio

No segundo dia de viagem, começamos cedo indo visitar a Robbin Island, ilha onde Nelson Mandela ficou preso por 18 anos. O transporte é feito via ferrries, que saem do Waterfront diariamente.

IMG_9197
Tem 3 tipos de barco, e alguns são mais rápidos que outros, por isso antes de comprar é bom perguntar. Pela internet não é possível saber quanto tempo o barco leva até a ilha, então o ideal é fazer a compra no local e perguntar no momento da compra. O nosso levou uma hora, no início anima, pois o dia estava lindo e no passeio você consegue ter a visão da cidade por outra perspectiva, mas como o retorno é pelo mesmo barco, a volta fica muito cansativa. Foi então que descobrimos que tem ferries que fazem a viagem em 30 min, o Sea Princess por exemplo. A chegada na ilha é bem bonita, rodeada por pássaros e muitas algas. Usada como uma prisão durante anos, teve muito destaque por receber os presos políticos no período do Apartheid. Nelson Mandela foi mandado para lá e passou anos numa cela de 2,4 m. Uma visita bem cultural feita com um ex prisioneiro como guia.

IMG_6656

Ele nos apresenta toda a historia e conta os casos dos anos de horror. A cela de Madiba impressiona bastante! E o tratamento que eles recebiam também. Depois da volta pela prisão, você entra num ônibus e faz um percurso de 45min com explicações de diversos detalhes da época e da ilha. O passeio não é tão bem organizado, e o inglês dos guias deixa a desejar, mas a ida vale muito pela parte da história. Reserve uma manha ou toda uma tarde, o nosso levou mais de 3 horas. Os ferries saem às 9h, 11h 13h e 15h

Para almoçar optamos por um restaurante muito indicado e que realmente não recomendo. O Beluga, já está extremamente turístico e a comida deixou a desejar. Pedimos uma lula à dorê de entrada que estava gostosa, mas o prato principal fraquíssimo. Tanto o meu quanto o do meu marido. Então sugerimos evitar!

http://www.beluga.co.za/

Na parte da tarde fomos direto visitar a Table Mountain. Demos muita sorte, pois o dia estava lindo e sem nenhuma nuvem. Então conseguimos ver o pôr do sol do topo de Cape Town. A subida é feito de bondinho, que tem uma forma redonda e o piso giratório, ou seja, não precisa disputar lugar, pois ele vai girando possibilitando quem está dentro apreciar todos os ângulos da subida. Lá de cima a vista é impressionante, você consegue ter um panorama geral de toda a cidade, do Waterfront, das Praias e de diferentes bairros. Um passeio imperdível! A nossa dica é acompanhar a previsão do tempo e ir sempre que o tempo estiver com sol, pois se tiver neblina, o bondinho fecha e não é possível subir. Os horários variam bastante  dependendo da época do ano, por isso é sempre bom consultar o site. O último bondinho sobe sempre 1h antes do fechamento.  www.tablemountain.net

IMG_6572

O jantar foi no famoso The Pot Luck, do mesmo Chef do premiado The Test Kitchen, serve comida fusion com especialidades locais, tem o ambiente super descontraído e uma vista linda para o Old Biscuit Mill. www.thepotluckclub.co.za

IMG_9313

03 de Maio

Nas manhas de sábado acontece no Old Biscuit Mill uma espécie de feira onde você encontra arte, decoração, livros e alimentos fresh from the farm! O local é um charmoso espaço que possui lojas de moda, galerias de arte, lojas de design e restaurantes. O ambiente é descontraído e bem badalado de jovens curtindo uma música ao vivo, artesanato e iguarias locais.

IMG_6573

O nosso almoço foi no renomado The Test Kitchen, premiado como o melhor restaurante da África do Sul pela Eat out e na lista do Restauranter na 65°posição. Com uma cozinha fusion com influencia local, possui o cardápio degustação com variedades de pratos, escolhemos opção de 5 coursers com harmonização de vinho. A apresentação e o sabor surpreendem, um momento para ficar marcado na memoria!

IMG_6574

Na parte da tarde fomos no Slave Lodge, museu que conta a historia do período da escravidão, que fica no centro da cidade. O prédio por fora tem uma arquitetura bonita, mas por dentro  não vale muito a visita. Apenas para os apaixonados por historia, achamos que o acervo não impressiona.

No jantar marcamos no Haiku, também no centro, tem uma filial no Waterfront, mas optamos pela mais local. São tapas asiáticos, com porções para dividir. Tem pratos do Japão, Tailândia e China. Experimentamos algumas opções japonesas que gostamos bastante e a escolha imperdível é o pato laqueado, famoso prato chinês, que você enrola com panquecas. Uma delícia!

04 de Maio

Foi o dia de trocarmos de hotel, passamos as três primeiras noites no Cape Grace e para uma experiência diferente, optamos em passar as duas últimas noites no Ellerman House, hotel de charme com apenas 11 quartos, 2 Suítes e 2 Villas. Fica em Batry Bay, bem próximo a Clifton e Camps Bay, faz parte da seleção dos hotéis Relais & Chateaux. Uma experiência romântica e exclusiva em Cape Town. O hotel te faz sentir em casa, respeitando o lema “A house away from home”, a casa é de 1906 e de inglês que dá nome ao hotel, dono de uma fabrica de navios que gostava de passar as ferias por aqui.
IMG_6575

Em 1960 foi adquirida pelo atual proprietário, passou por uma reforma e hoje da a sensação de estar de férias na casa de uns amigos, sem recepção, você é recebido na porta, apresentado aos ambientes da casa, sala de estar, biblioteca, varanda, sala de jantar, piscina e ao seu quarto, com uma vista incrível para o Atlântico. As paredes são rodeadas por obras de arte da África do sul, a casa tem uma decoração clássica e respeita a arquitetura da sua época, já as Villas, recém-construídas, são mais modernas. Fazendo um belo contraste entre os dois. O que mais impressiona é que o hotel tem uma Art gallery própria, com obras de arte desde o séc. 19, de renomados artistas do país. Para quem estiver se hospedando, reserve pelo menos uma meia hora para apreciar a beleza do lugar e dos quadros. Para relaxar e curtir um pouco da estrutura o Ellerman house conta com SPA e academia. Aproveitamos para almoçar no  hotel, que tem um cardápio bem elaborado e vista privilegiada.

No inicio da tarde tentamos ir para o Kirstchbosh, jardim botânico, com lindos jardins, mas como estava chuvendo muito, o passeio não foi possível.

O jantar foi no Paranga, asiático em Camps Bay, restaurante em frente à praia com ambiente e frequência bem turísticos. Japonês ruim e comida nada demais. Não curtimos a experiência.

Uma opção bem legal pela região é o The Round House, tem vista privilegiada para Camps Bay e os12 apóstolos. No domingo, abre apenas para almoço de Maio a Setembro de 12h às 15h. Cozinha combina inspiração europeia com caracteres sul africanos.

05 de Maio

Foi um dia muito esperado! Dia do Península Tour, começamos por um Mirante no alto de Camps Bay, onde é possível ver os 12 apóstolos- que nada mais são que 12 elevações na montanha, e no passado batizaram assim. Porém existe uma lenda de que dependendo do seu nível alcoólico já registraram até 17 apóstolos por ali. Do mirante se vê toda a praia de Camps Bay, point no verão, região cheia de bares e restaurantes. Melhor lugar de Cape Town para assistir ao pôr do sol. O sol é engolido pelo mar, formando um espetáculo de cores. Por isso no verão tem diversos beach clubs que abrem para temporada.

Depois partimos direto para Hout Bay, local onde você embarca num ferry para ver a Ilha das Seals, são dezenas de focas, que ficam esperando a idade para reproduzir. Ao redor do píer elas nadam e fazem umas graças, o passeio dura apenas 40 min e vale a pena! Dependendo das condições do mar, conseguisse chegar mais próximo da ilha. No dia que fomos o mar estava muito agitado e só foi possível ver a ilha de longe.

Próxima parada, reserva do Cape Península National Park um lugar incrível! Muito rico em vegetação, tem diversas espécies de plantas e alguns animais. Vimos os baboos, alguns antílope e avestruzes. O parque possui trilhas para as caminhadas e praias desertas. Uma opção antes de chegar no parque é fazer uma parada na Fazenda de Avestruzes, que cultivam os ovos para venda, não fizemos essa parada e seguimos direto para o parque. Assim que chegamos fomos direto para o Cabo da Boa Esperança ponto mais ao sudeste da África ( ao sul da península).

IMG_9660

IMG_9711

O lugar é popularmente conhecido como o local onde acontecesse a junção do oceano Atlântico com o Índico. O que realmente não acontece bem ali.  Venta bastante e é sempre bom levar um casaco, principalmente um corta vento. Da para ver por ali a força da natureza e quantidade de ondas próximas ao local. Depois de lá vá até o Cape Point, antigo farol com uma vista panorâmica. Para seguir até o farol pode subir de funicular ou a pé, uma subidinha leve de 10 a 15 min. Optamos em subir pelo carrinho e descer a pé. De lá você vê as direções de outras cidades, Rio, NY, Berlim…

IMG_9704

O farol perdeu o uso ha alguns anos, pois como fica muito no alto, muitas vezes era engolido pelas nuvens e perdia sua função. Hoje funciona apenas como ponto turístico. Por ali tem o restaurante Two Oceans, com vista incrível. Uma opção para quem vai fazer o day tour. Optamos em almoçar mais no final do dia num restaurante em Kalk Bay, chamado Harbour House, que tem uma vista impressionante, fica na beira do mar, todo branco e azul marinho, de madeira e janelas inteiras de vidro. Da uma sensação que o almoço é al mare. Tem  cardápio especializado em seafood, com influência francesa e mediterrânea.  Antes do almoço, no caminho entre Cape Point e Kalk Bay, está Boulders Beach em Simons Town. Uma das poucas colônias de penguins no mundo.  Ali eles vivem e se reproduzem, ficamos bem impressionados com a proximidade que você pode chegar dos bichinhos, eles são realmente uma graça e a cidade ao redor muito charmosa, dando uma bossa ainda maior ao passeio. A praia faz parte dos Parques Nacionais da África, e para entrar é preciso pagar aproximadamente U$5,00.

IMG_6576

Bem próximo dali esta Kalk Bay onde foi o almoço do dia. No final seguimos para o Kirstchbosh  o Jardim Botânico, com sua milhares de espécies de plantas e lindas paisagem. Um dica nossa é o visitar o jardim na parte da manhã, quando o sol esta batendo e pôde-se render pelas fotos, como fomos no final do dia, o sol já estava do outro lado da montanha. De qualquer maneira vale o passeio para conhecer a diversidade de vegetação que existe na África do sul.

Final do dia, por do sol e jantar no incrível Ellerman House, fizemos um happy hour delicioso com vista de camarote para um dos espetáculos mais bonitos da natureza.

IMG_9964

Ficamos muito bem impressionadas com a cidade de Cape Town, cheias de atrativos, beleza natural e história. Uma parada obrigatória para quem vai para África do Sul!

Menu